Segurança

Segurança da informação

Segurança da Informação
Escrito por HD Store

Segurança da informação é a proteção de sistemas de informação contra acesso não autorizado, seja em armazenamento, processamento ou trânsito. Ela é importante porque muitos tipos de dados devem ser mantidos em confidencialidade.

Uma boa segurança da informação significa que as informações da sua empresa estão seguras contra roubo e mau uso e que os dados de que você precisa para fazer seu trabalho estão disponíveis e são precisos. A manutenção da segurança da informação exige algumas precauções, e neste artigo abordaremos algumas delas.

1. O que é segurança da informação?

Segurança da informação, abreviada comumente como InfoSec (do inglês, Information Security), é defender informações de acesso, uso, divulgação, leitura, registro ou destruição não autorizados. Ela inclui as garantias de confidencialidade, integridade e disponibilidade que são necessárias para que essas informações sejam defendidas.

Segurança da informação aplica-se, especialmente, a organizações militares, governamentais e corporativas em que a perda de controle de informações pode representar graves riscos financeiros ou estratégicos. Por isso, busca-se proteger informações contra ameaças externas, bem como forças internas, como a falha de um dispositivo de armazenamento. As boas práticas na área são, portanto, uma parte inerente da tecnologia da informação.

A governança da segurança da informação, por sua vez, é o sistema pelo qual uma organização dirige e controla a segurança da sua TI. A governança determina quem está autorizado a tomar decisões e assegura que as estratégias de segurança estejam alinhadas com os objetivos do negócio e sejam consistentes com os regulamentos.

Uma política de segurança da informação é a pedra fundamental de um programa de segurança da informação. Ela deve refletir os objetivos da organização para a segurança e a estratégia de gerenciamento acordada para se obter informações.

2. Os benefícios de se investir em segurança da informação

Toda empresa precisa ter um programa de segurança, não importa o quão grande ou pequena ela seja. Esse plano é chamado política de segurança. Se ele tem dez ou trezentas páginas, não importa, mas o processo de criação de um programa de segurança fará você pensar de forma holística sobre a segurança da sua informação.

Uma política de segurança fornece estrutura para manter sua empresa no nível de segurança desejado, avaliando os riscos que enfrenta, discutindo como eles serão mitigados e planejando como você mantém a política e suas práticas atualizadas. Afinal, o valor da sua empresa está em seus dados.

Se você acha que não tem nada para proteger, deveria pensar novamente. O recurso principal que uma política de segurança ajuda a proteger são seus dados. Informações de produto, financeiras e sobre clientes e projetos, por exemplo, são o que seu negócio tem de mais valioso. É responsabilidade da política de segurança protegê-los.

Proteger seus dados significa proteger sua confidencialidade, integridade e disponibilidade. As consequências de uma falha em proteger esses aspectos incluem perdas de negócios, responsabilidade legal e perda de confiança da empresa.

Há, portanto, muitos benefícios em se investir em segurança da informação. Conheça 4 deles a seguir.

2.1. Melhoria da conformidade

Conformidade é um dos principais impulsionadores das iniciativas de segurança de TI. E, embora sozinha não possa garantir um ambiente seguro, a conformidade sempre atrairá atenção por causa das potenciais penalidades que oferece caso aconteçam falhas. Cumprir os mandatos relevantes é só o começo do aprimoramento da postura de segurança, mas é um primeiro passo importante.

Investir em segurança da informação ajuda a melhorar a conformidade com normas e padrões. E, por conseguinte, aumenta a eficiência da proteção dos ativos de sua empresa.

2.2. Detecção e remediação rápida de ameaças

Concentrar-se unicamente na prevenção de ameaças é uma intenção nobre, mas pouco funcional. As soluções de segurança da informação precisam abordar os novos limites, como mídias sociais e computação em nuvem, ajudando empresas a detectar e corrigir violações rapidamente. Quanto melhor elas fizerem isso, mais eficiente é a segurança da informação em uma organização.

2.3. Redução do roubo e fuga de dados

Ataques externos chamam muita atenção, mas as ameaças internas podem ser mais prejudiciais a um negócio, comprometendo sua propriedade intelectual. Você saberia se um empregado estivesse enviando planos de produtos para um concorrente ou publicando informações anonimamente e acessando dados financeiros fora de seu escopo?

Com soluções de segurança da informação inteligentes, é possível identificar e mitigar essas ameaças. Por isso é tão benéfico investir na área.

2.4. Operações simplificadas

Soluções de segurança da informação aplicam automação inteligente para simplificar operações de segurança e reduzir seus encargos. Quanto mais a sua empresa investe, mais eficiência pode conseguir na área, eliminando tarefas manuais tediosas.

Você vai entender isso melhor quando abordarmos alguns aplicativos que podem amplificar a sua segurança e simplificar a vida da sua equipe de TI.

3. A importância de planejar a segurança da informação estrategicamente

Muita gente tem dúvidas se o planejamento técnico e estratégico ainda é prático nos ambientes da atualidade, em constante mudança. Afinal, planejamento estratégico é sobre definir metas de longo prazo, estabelecer direções e restrições que orientarão a conquista desses objetivos e identificar ativos e capacidades necessários para executar tal plano. E o mesmo vale para o plano estratégico de segurança da informação.

Claro e conciso, um plano estratégico de segurança permite que executivos, gerentes e funcionários concentrem seus esforços na direção certa, e saibam quando alcançaram seus objetivos. Por mais que pareça, eles não estão obsoletos, embora muitas organizações já não tenham mais um.

Como resultado, há uma falta de foco e inconsistência nas ações tomadas em toda a empresa — para não mencionar uma maior probabilidade de o pior acontecer. A importância de planejar a segurança da informação estrategicamente nunca foi tão grande.

3.1. O que está incluído em um plano estratégico?

Um plano estratégico de segurança da informação posiciona uma organização para mitigar, transferir, aceitar e evitar os riscos de informação. Uma estratégia ajuda a organização e proteger adequadamente confidencialidade, integridade e disponibilidade.

Os benefícios de um plano estratégico são significativos e podem oferecer uma vantagem competitiva porque incluem o cumprimento dos padrões da indústria, sustentam a reputação do negócio ou apoiam o compromisso com acionistas, clientes, parceiros e fornecedores.

É porque um plano estratégico inclui as seguintes ações que ele consegue conquistar tudo isso:

  • define metodologias consistentes;

  • integra detecção e resolução de problemas;

  • provisiona arquiteturas flexíveis e adaptáveis;

  • planeja e gerencia recursos humanos.

Avaliar a lacuna do estado atual de uma organização e seus esforços de segurança existentes é o primeiro passo no estabelecimento de um plano estratégico. Seguir um padrão como ISO permite maior eficiência.

Etapas adicionais para sua construção incluem definir visão, missão, estratégia e tarefas a serem completadas para que se melhore o panorama da segurança da informação existente. O plano deve, idealmente, conter uma lista de produtos para as iniciativas, incluindo o nome da pessoa responsável por cada uma.

3.2. Por que um plano estratégico é importante?

Segurança da informação é uma viagem, não um destino. Isso significa que sempre existirão novos desafios a serem superados. Executar um plano estratégico de segurança é um fator de sucesso crítico para as organizações que desejam maximizar sua capacidade de gerenciar riscos de informação.

4. As principais ferramentas para segurança da informação

Conforme novas brechas de dados, roubos e hackings são relatados, organizações de todos os tipos priorizam a segurança cibernética. Isso significa que as equipes de segurança da informação estão crescendo e se tornando mais especializadas.

Os profissionais de hoje usam regularmente ferramentas como as abaixo para completar as tarefas que os permitem gerenciar, analisar e proteger dados e sistemas.

4.1. Metasploit Framework

O Metasploit é o programa perfeito para testar todos os aspectos da sua segurança sob um foco ofensivo. Principalmente uma ferramenta de teste de penetração, o Framework tem módulos que não só incluem explorações, mas também digitalização e auditoria.

Compatível com Windows e Linux, foi desenhado para você testar e endurecer pessoas, processos e tecnologia para a redução de risco. O software deixa fácil descobrir vulnerabilidades e conta com o maior banco de dados de exploração do mundo.

Você pode coletar e compartilhar as informações obtidas com o Metasploit em relatórios simples e usar a ferramenta para se defender de ataques. O programa testa suas defesas para se certificar de que elas estão prontas para um ataque real.

4.2. Wireshark

O Wireshark é uma ferramenta para você visualizar o tráfego das suas redes com tantos detalhes quanto quiser. Use-o para seguir fluxos de rede e detectar problemas.

Ele permite que você veja o que está acontecendo na sua rede em um nível microscópico e conta com um analisador LAN rico e visual, relatórios profissionais e personalizáveis, solução rápida de problemas e monitoramento de tráfego até mesmo para máquinas virtuais.

4.3. Kali Linux

O Kali Linux foi construído tendo a segurança em mente — e por isso é considerado a mais segura distribuição Linux. Ele vem pré-embalado com centenas de poderosas ferramentas para testes de segurança.

Desde que surgiu, ele sempre foi baseado no conceito de segurança ofensiva, a crença de que a única forma real de alcançar a segurança defensiva é com mentalidade e abordagem ofensivas. Com uma comunidade de usuários apaixonada, o Kali traz novidades interessantes e atualizações frequentes para aumentar a sua segurança.

4.4. CipherShed

CipherShed é a sua ferramenta para criptografar todas as coisas e manter os arquivos da sua empresa seguros. Ele começou como parte do projeto TrueCrypt e hoje é uma plataforma cruzada, funcionando em Windows, Mac e Linux.

Com projeto de código aberto (que pode ser vistoriado e auditado por qualquer usuário), Cipher inclui soluções simples de criptografia para proteger seus dados, seguindo uma filosofia de menos privilégios.

4.5. Snort

Este programa é uma ferramenta de análise de tráfego em tempo real, que também faz o registro de pacotes. O Snort pode ser pensado como um sistema de prevenção de invasões tradicional, com detecção realizada por assinaturas correspondentes.

4.6. Nmap

Nmap ajuda você a mapear suas redes e portas, com scripts NSE poderosos que podem detectar vulnerabilidades e erros de configuração. Um utilitário de código aberto para descoberta de rede e auditoria de segurança, que pode ser utilizado tanto no Linux quanto no Windows ou no Mac.

Ele usa pacotes de IP para determinar quais hosts estão disponíveis, quais serviços eles oferecem e quais sistemas operacionais estão sendo executados. Projetado para escanear rapidamente grandes redes, funciona muito bem também em hosts únicos.

4.7 GRR — Google Rapid Response

O Google desenvolveu uma ferramenta para resposta a incidentes de segurança, conhecida como GRR. Ela combina um agente e um servidor python e permite que a resposta a incidentes seja realizada de forma remota.

Embora existam muitas ferramentas de segurança da informação disponíveis, apenas conhecimentos e habilidades sólidos tornam possível encontrar e utilizar as ferramentas certas no momento certo. Para um melhor resultado, profissionais devem manter seus conhecimentos atualizados e aproveitar ao máximo recursos como a internet, que são ótimos para discutir tendências atuais, ferramentas e notícias da indústria.

4.8 Imperva Secure Sphere

O Imperva é uma solução ideal para proteger os dados sensíveis de clientes. Ele garante segurança à computação local ou na nuvem, abrangendo suas principais necessidades em empresas de todos os tamanhos. Secure Sphere vai ajudá-lo a executar com segurança seus processos comerciais diários sem interrupções e entrará em acordo com todos os requisitos de segurança e conformidade de sua empresa automaticamente.

Ele é capaz de detectar qualquer ameaça, e todos os seus processos são cuidadosamente analisados. Você será notificado se houver qualquer consulta suspeita ou injustificada e também poderá bloquear automaticamente qualquer tentativa perigosa.

A ferramenta ainda garante monitoramento e registro permanente de todos os processos de negócios que implicam dados de clientes, que são armazenados de forma segura para que você possa verificá-los mais tarde.

Os apps que você usa diariamente também estão sujeitos a ataques, e o Secure Sphere permite que você proteja seu software de negócios e as transações executadas por ele.

5. 6 tendências de segurança da informação para grandes empresas

A segurança da informação, como você pôde perceber, é uma prioridade crítica para as empresas, pois agentes mal-intencionados procuram novas maneiras de contornar as defesas a todo tempo. E, enquanto o malware segue sendo um problema-chave, os hackers não dependem apenas dele para invadir sistemas. Por isso, veja agora algumas tendências da segurança da informação para as quais você deve abrir os olhos.

5.1. Ransomware das Coisas

O ransomware é uma grande fonte de dinheiro para cibercriminosos, e por uma boa razão. Com muitos usuários armazenando tudo digitalmente, hackers podem facilmente assumir uma posição de controle ao invadir, criptografar e exigir uma elevada taxa para o retorno desses dados. E o problema está piorando.

Agora, espera-se que eles tenham uma nova tática: o Ransomware of Things, ou RoT. Afinal, atacantes hoje já veem o valor em comprometer pequenos dispositivos conectados à internet e, em seguida, manter suas informações reféns até que as empresas paguem. Isso pode não parecer um problema enorme quando falamos de um punhado de sensores caseiros, mas imagine a violação de uma rede corporativa completa ou de dispositivos de monitoramento públicos.

Para as empresas, permanecer seguro significa sempre alterar as combinações padrão de nome de usuário e senha nesses dispositivos. Mas aderir a ferramentas de monitoramento para detectar comportamento suspeito também pode ajudar.

5.2. Vulnerabilidades

A nossa tendência natural é acreditar que empresas estão melhorando em encontrar e corrigir vulnerabilidades, mas esse nem sempre é o caso. Embora o número total de vulnerabilidades tenha diminuído, o número de fraquezas críticas está, de fato, aumentando.

Tendo de dirigir-se a problemas de vulnerabilidades críticas de alto volume, equipes de Segurança da Informação acabam sendo obrigadas a priorizar atualizações de segurança, em vez de executar estratégias proativas.

5.3. Crime como serviço

Uma vantagem que as equipes de segurança da informação sempre tiveram sobre hackers era a natureza proprietária do código malicioso. Agentes ruins normalmente não tiram interesse em compartilhar seu trabalho. Entretanto, hoje atacantes veem o valor de vender seus produtos nos mercados da Dark Web e estão começando a se organizar em hierarquias similares a empresas que oferecem software, criando um modelo conhecido como Crime como Serviço.

A solução para isso é o compartilhamento de informações de segurança entre empresas. Elas não podem se dar ao luxo de fingir que não passam por problemas e violações parecidos e devem trocar conhecimento para enfrentar esse novo desafio.

5.4. Demanda aumentada por novas habilidades

Essa ameaça está no horizonte das empresas há vários anos. Com milhares de postos de trabalho de InfoSec vazios, os ataques em 2017 resultarão em dados diretos e mensuráveis. Com profissionais de TI já esticados, apenas gerenciando demandas corporativas e implementando medidas básicas de segurança, a resposta proativa a ameaças está fora do alcance.

Isso significa que todas as vulnerabilidades críticas que citamos aqui podem ter um impacto ainda maior devido à falta de pessoal.

5.5. Violações mais complicadas de vencer

Criminosos cibernéticos estão procurando expandir suas atividades maliciosas usando ransomware de maneiras cada vez mais tortuosas, como mencionamos no tópico sobre RoT. Mas há outras variações perigosas desse tipo de software. Sistemas inovadores usam os computadores das vítimas para atacar, oferecendo descontos em regime piramidal.

Se a vítima passa um link para o malware e um número determinado de pessoas instala o arquivo e paga, a vítima original tem seus arquivos descriptografados gratuitamente. Isso é perigoso e, ao mesmo tempo, tentador.

5.6. Ataques mais ousados e comerciais

Hackers estão cada vez mais organizados, unindo-se nas enterprises criminosas que citamos aqui. Hoje, eles têm seus próprios call centers e procuram se basear em países onde o crime cibernético é tratado com maior leniência. A ideia de se colocar fora da jurisdição policial de suas vítimas tem se mostrado rentável e é outra tendência para a qual a segurança da informação deve estar atenta.

Para as empresas que buscam reforçar suas defesas, 2017 exige um foco na proteção proativa, no compartilhamento de informações e na terceirização de expertises para se manter protegido.

6. A importância da auditoria em segurança da informação

A maioria das organizações já percebeu a necessidade de usar a tecnologia da informação para se manter à frente no cenário atual. E elas investiram em sistemas de informação porque reconhecem os inúmeros benefícios que a TI pode trazer para as suas operações. A segurança da informação é parte importante disso, garantindo a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados.

Uma auditoria de sistemas da informação assegura que esses dados sejam armazenados confidencialmente, que a integridade deles esteja assegurada e que eles se façam disponíveis em todos os momentos para os usuários autorizados. Ela é, portanto, importante para garantir que a sua InfoSec funciona.

O papel da auditoria com relação à segurança da informação varia entre organizações, mas pode proporcionar uma oportunidade significativa de oferta de valor. Auditores devem desempenhar papel de garantia de que os esforços de segurança da informação tenham um efeito positivo em uma organização.

Uma auditoria pode assumir várias formas, mas deve pelo menos rever os planos, políticas, procedimentos e iniciativas do programa de segurança da informação, mantendo entrevistas com os principais interessados. Por outro lado, em sua versão mais complexa, deve avaliar todos os aspectos importantes de um programa de segurança considerando os riscos envolvidos, os requisitos de garantia e as habilidades da administração.

Como todas as auditorias, a de segurança da informação envolve planejamento, trabalho de campo e relatórios. Ela deve incentivar a organização a desenvolver força, resistência e agilidade, respondendo às seguintes perguntas:

  • O programa de segurança da informação reflete os riscos e complexidade da organização?

  • Existe um esforço ativo para que administração e equipe compreendam seus papéis e responsabilidades?

  • As medidas de segurança são testadas regularmente e ações corretivas ocorrem?

  • Como a segurança da organização se compara com a concorrência?

Auditores devem funcionar como os médicos de uma empresa, avaliando a saúde dos seus órgãos vitais e certificando-se de que o negócio adote as medidas necessárias para se manter saudável.

Segurança da informação são processos e metodologias implementados para proteger informações impressas ou eletrônicas do uso indevido, divulgação, destruição, modificação ou distribuição não autorizados. Esperamos que o guia de hoje tenha ajudado você a entender melhor esse conceito e como colocá-lo em prática. Se gostou deste conteúdo, assine a newsletter da HD Store para receber mais informações como essas em sua caixa de entrada!

Sobre o autor

HD Store

Deixar comentário.

Share This