Internet das Coisas

Afinal, o que é indústria 4.0? Entenda aqui!

Indústria 4.0
Escrito por HD Store

Se você gosta de se manter atualizado em relação às novas tendências tecnológicas, certamente já deve ter se deparado com um termo que está se tornando cada vez mais popular. Estamos nos referindo à indústria 4.0.

Mas o que é indústria 4.0, afinal? Para entender melhor o seu conceito, é preciso remeter o seu pensamento às primeiras indústrias que foram criadas na época da Revolução Industrial, um dos períodos mais importantes na história da sociedade contemporânea.

De gigantescas e barulhentas máquinas movidas a vapor, como chegamos aos portáteis, pequenos e tecnológicos smartphones? Onde mais a tecnologia pode nos levar? Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura para entender o que é indústria 4.0, como surgiu e quais serão os seus impactos no modelo industrial que conhecemos hoje.

O contexto histórico e as revoluções industriais

Para o termo indústria 4.0 existir, significa que existem 3 versões anteriores, correto? Pois bem, antes de adentrarmos em conceitos mais avançados sobre o que é indústria 4.0, vamos falar um pouco sobre como ela surgiu e como evoluiu com o decorrer dos séculos.

Indústria 1.0

Há cerca de 250 anos, a indústria dava o seu primeiro grande passo rumo à realidade tecnológica que vivemos nos dias atuais. O período que ficou conhecido como Revolução Industrial, foi marcado pelo aumento da produtividade no setor têxtil, quando as fábricas foram mecanizadas graças à invenção da máquina a vapor.

Indústria 2.0

Desta vez, foi a indústria automobilística que fez sua contribuição à história. Em 1913, a Ford introduziu a primeira linha de montagem industrial, alcançando um significativo aumento na produtividade das fábricas.

Na sequência, diversas outras empresas aderiram aos conceitos de produção em ritmo industrial, para aumentar a eficiência e reduzir os seus custos.

Indústria 3.0

Em meados dos anos 70, nasciam os primeiros sistemas de automação, iniciando a montagem automatizada para aplicação industrial, por meio de computadores, máquinas de inserção de componentes, centros de usinagem etc.

Com isso, os trabalhos, que antes eram feitos por humanos, foram otimizados e passaram a ser realizados por robôs computadorizados.

O modelo de indústria altamente automatizada, gerado há mais de 40 anos, possibilitou que fossem criadas as grandes inovações tecnológicas que usufruímos hoje, como tablets, smartphones e todo o tipo de produto eletrônico.

O que é indústria 4.0? 

Foi na edição de 2011 da famosa feira de tecnologia que acontece todos os anos, no final de abril, na cidade de Hannover, Alemanha, que o conceito sobre a indústria 4.0 seria revelado ao público pela primeira vez.

Em uma associação entre o governo alemão, universidades, centros de pesquisas do país e empresas de tecnologia, a iniciativa foi fortemente incentivada e patrocinada, propondo mudanças radicais no modelo industrial que conhecemos hoje.

Estas mudanças fazem parte de uma visão futurista (mas realista) em que ocorre uma completa descentralização do controle dos processos e uma grande proliferação dos dispositivos inteligentes interconectados, em toda a cadeia de produção e de logística das fábricas.

O impacto que se espera no setor industrial é comparado ao que a internet proporcionou ao comércio digital, às transações bancárias e aos meios de comunicação.

Quais benefícios a indústria 4.0 proporcionará?

Virtualização

Sensores equipados com tecnologias, como bluetooth, RFID (identificação por radiofrequência), entre outras, serão instalados por toda a indústria, permitindo que os processos sejam monitorados de forma remota.

Basicamente, bastará um coordenador para controlar toda a fábrica por meio de um simples smartphone, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Capacidade de operação em tempo integral

Dispositivos inteligentes e interconectados, serão implementados em cada etapa da produção, o que possibilitará que dados sejam obtidos e gerenciados de maneira prática, ágil e segura.

A fábrica poderá operar em tempo integral e a tomada de decisões dos gestores será otimizada por conta da automação e digitalização dos procedimentos.

Descentralização de processos

Outra grande inovação tecnológica, conhecida como inteligência artificial, será integrada à nova indústria, como forma de melhorar o monitoramento de cada etapa, descartando a necessidade de esperar o fim da linha de produção para identificar erros.

Além disso, sistemas cyber-físicos permitirão que a fábrica opere em módulos independentes, melhorando a tomada de decisões e aprimorando os processos.

Modularidade

Se existe um “sonho” que foi projetado, por muitos anos, para que o modelo industrial fosse otimizado, certamente é a possibilidade de modularizar as máquinas e os equipamentos de produção.

A modularidade trará flexibilidade aos processos, já que cada módulo de produção poderá ser acoplado e desacoplado conforme as necessidades da demanda.

Isso garantirá uma personalização maior dos produtos, eliminando aquele velho conceito de linha de produção, em que milhares de unidades iguais são produzidas para que o negócio seja lucrativo. Além de melhorar o aproveitamento do espaço interno das fábricas.

Como isso será possível?

O que é indústria 4.0, sem todas as tecnologias de conectividade, não é verdade? A viabilização de todo os processos inteligentes, móveis e seguros só será possível por conta de dois pilares essenciais: big data e internet das coisas.

A internet das coisas procura facilitar e ampliar as interações entre humanos e os dispositivos tecnológicos que estão presentes em nosso cotidiano.

Por isso, a base da indústria 4.0 é, basicamente, a presença de sensores e sistemas em cada lugar que se possa imaginar na fábrica.

Enquanto a análise de big data permite que um volume exponencial de dados seja lido e gerido simultaneamente. Aplicada à indústria 4.0, permitirá que as informações sejam trabalhadas com agilidade, reunindo o conceito dos 6Cs:

  • conexão ― sensores;

  • cyber ― memória das máquinas;

  • cloud ― armazenamento de informações em servidores virtuais;

  • comunidade ― interconexões e informações compartilhadas;

  • conteúdo ― garantia de qualidade de informação;

  • customização ― manufatura ajustável, flexível e prática.

Quais são os impactos da indústria 4.0?

A previsão é de que a quarta revolução industrial gere grandes impactos no mercado de trabalho e nas ofertas de mão-de-obra. Espera-se que, aos poucos, os trabalhos manuais e repetitivos sejam substituídos por ferramentas e recursos automatizados, ou seja, robôs e máquinas.

Isso significa que uma nova demanda de profissões será gerada e o papel humano dentro das fábricas se tornará mais estratégico do que braçal. O conhecimento técnico não será mais um diferencial de mercado, mas uma competência exigida.

Portanto, formações voltadas ao setor tecnológico, envolvendo habilidades e conhecimentos sobre TI e as mais diversas tecnologias serão altamente valiosas para o cotidiano das fábricas inteligentes.

E você? Ainda tem alguma dúvida sobre o que é indústria 4.0? Gostaria de compartilhar alguma experiência sobre o assunto? Então deixe o seu comentário!

Sobre o autor

HD Store

Deixar comentário.

Share This